Leids Ontzet – Libertação de Leiden

Em Leiden, o final de semana foi prolongado, com muita festa, amigos e chuva. Leids Ontzet é considerado o maior feriado da cidade, e eu finalmente pude entender o porquê. Mas antes de falar um pouco mais da festa, acho importante entender toda a história por trás da data. Vem comigo:

História

Durante 1573 e 1574, a cidade de Leiden estava sob cerco espanhol. Na época, a Holanda pertencia à Espanha, mas isso não impediu que várias forças rebeldes se mobilizassem no país,e especificamente em Leiden. Visando a vencer a resistência, o Duque de Alba, então governador-geral da Holanda, ordenou que a cidade de Leiden ficasse sob um cerco, barrando a entrada de comida e suprimentos.

E porque desgraça pouca é bobagem, não bastasse a falta de comida, a cidade também foi assolada pela peste e outras doenças. Estima-se que 6.000 pessoas morreram durante este período.

Entretanto, mesmo assim a cidade não se rendeu. A população sabia que caso isso acontecesse, seriam massacrados pelos espanhóis para servir de exemplo.

Mesmo assim, tem uma hora que a doença e a fome apertam. Quando a causa parecia perdida, Guilherme de Orange (Willem van Oranje), líder dos rebeldes, enviou um pombo correio para a cidade pedindo para que aguentassem firme. Ele daria um jeito. Ao mesmo tempo, ele bolou uma estratégia para acabar com o cerco, dutch style. A mesma estratégia foi empregada com sucesso em Alkmaar, cidade ao norte de Amsterdã.

No dia 3 de outubro de 1574, Guilherme fez buracos nos diques que cercavam a cidade. Lembra que eu falei que depois de Amsterdã, Leiden é a cidade com mais canais no país? Pois é, imagine. Os níveis de água aumentaram e houve inundação em algumas áreas. Ao mesmo tempo, o exército de rebeldes se movia para libertar a cidade. Os espanhóis fugiram, e a população enfim suspirou aliviada. Estavam a salvo. E esse é o motivo de no dia 3 de outubro ser comemorada a Leids Ontzet, que se traduz literalmente como o “Alívio de Leiden”.

 

A festa

Não posso falar sobre os outros anos, mas nesse o negócio foi intenso. Como o feriado caiu em uma segunda-feira, a cidade começou as festividades logo na sexta. E foi criado todo um suspense e antecipação, com direito a contagem regressiva e tudo.

 

contagem-regressiva

Última chamada!

 

E gente, o que é que foi isso. A bandeira da cidade estava em todo lugar. Uma kermis, espécie de feira de atrações itinerante, foi montada perto da estação central. Colocaram uma estrutura flutuante no canal para que a festa pudesse rolar ali. Gente nas ruas, gente nos bares, música em todo canto. Todo mundo feliz, todo mundo se divertindo com os amigos. Saí sexta, sábado, domingo e segunda. Ainda bem que é só uma vez por ano, porque mais uma dessas eu não aguento tão cedo… No meu grupo de amigos, sou a menina mais velha, praticamente a vovó da turma.

leiden

Bandeiras de Leiden foram uma constante em toda a cidade

 

kermis1

Kermis, o parque de atrações

 

E sente só um pouco do clima da balada ao céu aberto:



 

O final do segundo vídeo com um momento fofinho de um casal aleatório foi pura sorte. Olha só, holandeses também amam!

E sim, essa é a estrutura flutuante que colocaram dentro do canal. Toda essa galera estava festejando em cima da água. Confere aqui como é o mesmo lugar em um dia normal.

 

cidade

Não é à toa que os holandeses são mestres em domar a água, né?

 

Isso tudo foi de sexta a domingo. Domingo foi o dia que mais choveu, mas ainda assim deu para se divertir e preparar o coração para a segunda feira. Reza a lenda que quando os espanhóis fugiram em 3/10/1574, Guilherme e seu exército trouxeram pão e arenque para a população faminta. Então, na manhã do dia 3, a prefeitura distribui… pão e arenque! De graça. Tecnicamente você tem que se registrar no site da prefeitura, mas parece que na prática eles não ligam muito, e distribuem para quem está lá. O único porém é que tudo isso acontece às 7 da manhã.

Óbvio que eu não fui. Quem me conhece sabe que eu me levantar uma hora dessas é uma baita piada de mau gosto. Fiquei no quentinho da minha cama até quase meio dia. O relato disso fica pra próxima, sorry.

O grand finale ocorreu na noite do dia 3, com um espetáculo de fogos de artifício que se iniciou 23h30. Depois de 15 minutos, acabou-se o que doce.

O pessoal festejou até o último segundo. Depois que acabaram os fogos, todo mundo ficou parecendo barata tonta, sem saber o que fazer. Todo mundo meio desolado. A coisa foi tão tragicômica que na saída eu e meus amigos passamos por uma menina que estava na calçada, aos prantos. A amiga dela tentava consolar, dizendo que estava tudo bem, no dia seguinte todo mundo teria que ir para a faculdade também. Isso fez com que a menina chorasse mais forte ainda. Neste momento a amiga falou exasperadamente “você só tem 20 anos!”

A tristeza era palpável.

Mas olha, esse foi um dos melhores finais de semana que passei aqui na Holanda. A atmosfera da cidade e o clima de alegria estava contagiante. Bem que podia ter mais feriados assim.

____________________________________________________________

Quer saber mais sobre a Leiden’s Ontzet? Leia aqui e aqui, em inglês.

 

 

2 responses to “Leids Ontzet – Libertação de Leiden”

  1. Larissa disse:

    Preciso de detalhes dessa menina chorando hahahahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *