Como eu consegui alojamento na Holanda

Eu já dei todas as dicas para encontrar acomodação na Holanda aqui. Mas a minha saga para encontrar alojamento na Holanda foi tão cheia de perrengues que eu vou contar para que vocês aprendam com os meus erros. E deem risada da minha cara também, claro.

Vamos começar por ordem cronológica. Ainda no Brasil, quando fui aceita em Tilburg.

O começo

A euforia do aceite logo se transformou em ligeira preocupação para encontrar uma casa, e no fim estava beirando a histeria mesmo. Ainda no Brasil, eu comecei a minha busca online para encontrar alojamento na Holanda. Foi mais ou menos assim:

  1. Ver o alojamento da faculdade. A Talent Square estava cheia;
  2. Olhar freneticamente todos os sites de aluguel que o Google me mandou;
  3. Entrar nos grupos de Facebook. Já comentei aqui que os grupos de Facebook são a forma mais democrática de achar um cafofinho. E tem de tudo: estudante procurando um novo housemate, imobiliárias anunciando propriedades, donos de apartamento lidando diretamente com os inquilinos…

E foi aí que eu notei um fenômeno que me surpreendeu: muitos estudantes holandeses não querem morar com estrangeiros. Não são todos, claro, mas nesses grupos há várias pessoas que anunciam “Dutch only“. Na época eu fiquei bem revoltada chateada e pensei que era tudo mentira, que holandeses não eram mente aberta coisa nenhuma. Hoje, mais velha e mais sábia (coff coff), eu entendo que cada um tem a liberdade de morar com quem quiser e pronto. Analisando friamente, as casas que não aceitavam estrangeiros eram aquelas em que 100% dos moradores eram holandeses. E seria uma situação chata para os dois lados, né? Os holandeses iriam se comunicar na língua nativa e o gringo ficaria ali sobrando. Há também quem prefere pessoas que vão morar na casa por mais tempo, o que exclui os intercambistas que vem para 1 semestre.

E tem muita casa de fraternidade holandesa anunciando alojamento na Holanda também, e esse pessoal está em outra vibe.

Então o negócio é não desanimar com os nãos que forem receber ao longo do caminho, e persistir até encontrar uma casa que tenha uma galera mais a ver com você.

 

O desespero

Pois bem. Eu passei a responder todos os anúncios, mesmo os escritos em holandês (tirando os que já especificavam “Dutch only“), com ajuda do Google tradutor.

Recebi não atrás de não, obviamente.

A data de embarcar se aproximava cada vez mais, e eu não tinha um lugar para ficar. Então fiz o que tinha que fazer, e reservei um quarto de hotel por uma semana. Eu tinha uma semana para deixar de ser sem teto. Eu e as minhas duas malas de 32kg, mala de mão, e mochila.

Tic tac.

Foto meramente ilustrativa, claro. Isso foi para uma viagem de final de semana.

Foto meramente ilustrativa, claro. Isso foi para uma viagem de final de semana.

 

Final feliz?

 

casa-tilburg

 

Na primeira semana a própria Universidade de Tilburg promoveu um churrasco com os estudantes de todos os cursos. De forma completamente aleatória, acabei conversando com uma holandesa que se compadeceu da minha situação. Ela imediatamente me passou o contato de um lugar que ela morou uns anos antes. Como já era tarde, eu liguei no dia seguinte e – surpresa! Eles tinham quarto disponível. Fiz a visita já no dia seguinte. E no sábado que eu tinha que fazer o check-out no hotel, fiz a mudança. Foi uma mistura de sorte e perseverança. E no final deu tudo certo, né?

Por isso gente, o negócio é ir tentando todas as portas até que uma se abra. :)

 

E por mais que eu tenha passado dois anos muitos felizes naquela casa, decidi me mudar para Leiden para fazer o mestrado. E começou toda a saga novamente.

 

Parte 2: Leiden

 

leiden

 

Primeiramente eu gostaria de deixar registrado que, embora eu sempre faça as coisas de última hora, mesmo quando eu tento fazer com antecedência, não dá certo. Mesmo tendo mandado o application para a Universidade de Leiden antes do prazo, eles certeza esqueceram o meu processo em uma gaveta. Resultado? Um mês antes das aulas começarem (2 meses depois de eu ter mandado o application) que eu recebo o aceite, então foi (novamente!) uma corrida contra o tempo. Mas pelo fato de eu já estar na Holanda, tudo é mais fácil…. certo?

 

A Estratégia

Decidi focar nos grupos de Facebook e imobiliárias. Só que assim, a concorrência é de outro nível. Esqueça vestibular de medicina que é  mais de 100 por vaga. Esqueça aquele processo de trainee que tem 5000 inscritos para 20 vagas. Esqueça as últimas batatinhas Pringles em promoção no supermercado. Nada que eu vivenciei até agora se compara à concorrência nos grupos de Facebook para conseguir alojamento na Holanda.

Assim que alguém posta ofertando um quarto, imediatamente há respostas. Se você viu o post depois de meia hora, só lamento.

E era o que estava acontecendo. As imobiliárias não tinham acomodações dentro do meu orçamento pobre e eu não conseguia responder ninguém a tempo nos grupos. Eu vi que desse jeito não ia dar.

 

Desperate times call for desperate measures

Situações desesperadas pedem medidas desesperadas. Pois eu decidi fazer um anúncio oferecendo euzinha como uma excelente colega de quarto. Apesar de isso parecer estranho, é bem normal e acontece bastante até; geralmente, sem muito sucesso. Então eu sabia que teria que ser diferente. Em uma tarde inspiradora, decidi me anunciar e ver no que ia dar. Olha o meu post, com tradução em português abaixo:


Brasileira em apuros – procurando por casa!

Oi gente!
Meu nome é Paula e eu sou uma brasileira de 24 anos vindo para Leiden. Também sou parte italiana, e acabei de terminar a minha graduação em Global Law em Tilburg. Vou começar o meu mestrado em Direito Internacional Público em Leiden agora no outono.
Estou procurando um quarto para alugar em Leiden por mais ou menos 350 euros (até 400 rola – afinal, quem precisa comer, né?). 

Eu amo viajar e conhecer pessoas e culturas novas. Como eu já moro na Holanda há 2 anos, eu já manjo um pouco do dutch way of life, embora ainda precise melhorar o meu holandês. Aliás, ajuda nesse departamento é bem vinda! haha. Eu sou bem tranquila, limpa e não fumo. Já vivi em vários tipos de situações, desde dividindo um apê com mais uma pessoa, até um dormitório com mó galera. Então eu consigo me adaptar facilmente a qualquer coisa.

Eu estou procurando por acomodação ou talvez juntar com mais gente e procurar um apartamento. Ao viver comigo você pode:
• Dar risada da minha cara quando falo holandês;
• Comer brigadeiro regularmente, que são tipo pedacinhos do paraíso (juro, olha no google!);
• Aulas de português de graça;
• Beber caipirinha sempre nos esquenta da vida;
• Companhia para ver um filme em casa ou ir para a balada – adoro os dois 

Então sinta-se livre para me mandar uma mensagem!

E abaixo está uma foto da minha formatura, porque nada bate a alegria de terminar o seu curso, quando toda a frustração, loucura e raiva vão embora.

Até você decidir fazer um mestrado, claro. 

 

paula chinelato


 

Reconheceu essa foto? haha É por isso que eu gosto tanto dela que coloquei ela até de perfil no blog. :)

Seja por conta da foto ou do texto, o fato é que esse post fez muito mais sucesso do que eu esperava. Muita gente curtiu, comentou e entrou em contato comigo. E foi assim que eu consegui um alojamento em Leiden, porque uma menina super gente boa me achou legal (coitada) e me convidou para morar na república dela.

Além disso, pelo fato do meu post ter dado tão certo, teve gente que começou até a me copiar, acredita? Tinha gente mantendo a mesma estrutura do meu post, tinha gente tentando fazer tiradas parecidas…

Mas tudo bem. Eu fiquei me sentindo a It Girl do grupo Leiden House, a diva que você quer copiar.

Se essa história tem alguma moral, é para você meter a cara a tapa e dar o seu diferencial em tudo o que você fizer. Se não, você vai ser sempre só mais um da multidão. Acho que isso vale para tudo na vida, não só para conseguir um cafofo, né?

 

Futuro

Mas gente, fiquem tranquilos que pode demorar, pode ter perrengue, você pode ter que se humilhar nas redes sociais que nem eu – mas sem teto ninguém fica. Para tudo se dá um jeito.

E porque ter a vida resolvida é algo muito chato, quando eu me formar eu vou mudar de cidade. E aí… Vai começar tudo de novo. Aguardem que em breve as definições de desespero por não achar casa e ter que tomar medidas drásticas serão atualizadas.

alojamento-na-holanda-tilburg

One response to “Como eu consegui alojamento na Holanda”

  1. Camila disse:

    Oii, Paula!

    Ameeei seu anúncio. Super original e divertido.
    Me inscrevi para um mestrado na University of Groningen – mas na verdade o campus do meu curso fica na cidade de Leeuwarden. Nem sei se passei ainda (o curso começa em Fev/2018), mas já sigo você e outros brasileiros que moram na Holanda e já fico pesquisando tudo sobre o país. Pouco ansiosa, né?! Hahaha..
    Se eu passar – fingers crossed! – com certeza vou seguir suas dicas.
    Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *